MARIA, MÃE DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS DE JESUS CRISTO

Nascimento de Barreiras

A partir de 1600, Francisco Garcia Dávila, junto com Domingos Afonso Serra, iniciou a conquista da margem esquerda do rio São Francisco, guerreando contra os índios e estabelecendo fazendas na região, que, devido à sua fertilidade, foi sendo ocupada com a implantação da agropecuária. Pertencente a Pernambuco e sem dispor de nenhum órgão que aqui representasse o governo português, em finais de 1600 os habitantes começaram a reivindicar ao rei a instituição desses órgãos, que aqui funcionassem, sem necessidade de se viajar até Recife.

Assim, o rei de Portugal D.Pedro II enviou ao Governador Geral do Brasil, D. João de Lancastre, uma carta assinada a 02 de dezembro de 1692, determinando a criação de arraiais na região.

A região Oeste no Estado da Bahia – Primeiro documento específico para nossa Região

Carta Régia

“Dom João de Lancastre, amigo Por parte dos povoadores da Lagoa de Parnaguá (situada no Piauí), rio Preto, rio Grande e rio São Francisco e circunvizinhos se me apresentou a que o grande dano a que padecem em suas fazendas de gado, com os constantes assaltos do gentio bárbaro (índios), a que não podem resistir por estarem ditas fazendas divididas, o que só se poderia remediar situando-se algum arraial de gentio manso no lugar mais oportuno, aldeando-se para serem permanentes… … … …” D. Pedro II – Rei de Portugal

Institucionalização da Região

Por força desta Carta Régia foram oficializados como arraiais os três mais antigos núcleos habitacionais da nossa região:

• No rio Preto – Santa Rita
• No rio Grande – Campo Largo (atualmente distrito de Taguá)
• No rio São Francisco, em frente à confluência do rio Grande – Barra

Logo em seguida, em 1700, toda a região foi instituída como distrito de Cabrobó, em Pernambuco, tendo sua sede em Barra, para onde foi constituída a primeira autoridade da área: o Juiz Braz Martins de Rezende, seguida de outras, como ouvidor.

Formação Territorial – Criação dos primeiros municípios

O primeiro município da Região Oeste foi São Francisco das Chagas da Barra do Rio Grande do Sul – Atualmente Barra, criado através da Carta Régia de 1752, abrangia toda a área que é hoje o Oeste baiano. Todos os outros que se formaram a seguir desmembraram-se de Barra.

Segundo Município – Campo Largo – Constituído através do Alvará Régio assinado por D.João VI em 03 de junho de 1820, com o território desmembrado de Barra. Abrangia a área de doze dos quinze municípios que atualmente formam a nossa Micro-Região do Rio Grande.

Terceiro Município – Santa Rita – Emancipado de Barra através da Lei Provincial nº 119, de 26 de março de 1840. De Santa Rita emanciparam-se Formosa do Rio Preto e Mansidão.

Criação dos demais municípios

Em 05 de julho de 1890, através da lei assinada pelo Governador da Bahia, Marechal Hermes da Fonseca, Angical se emancipou de Campo Largo. No ano seguinte Barreiras se emancipou de Angical, através da lei assinada pelo Governador José Gonçalves da Silva em 06 de abril de 1891, sendo instalado o município no dia 26 de maio do mesmo ano.

Novos Municípios

No início da década de 1960, Riachão das Neves emancipou-se de Cotegipe; Os distritos de Baianópolis, Catolândia e São Desidério desligaram-se de Barreiras; Cristópolis, Brejolândia Tabocas do Brejo Velho desmembraram-se de Angical.

Em 1985 Wanderley separou-se de Cotegipe e no ano de 2000, o distrito de Luís Eduardo Magalhães emancipou-se de Barreiras.

Com Formosa do Rio Preto e Mansidão, que se desligaram de Santa Rita, perfazem-se os quinze municípios que constituem a nossa região.

Texto da Professora Ignes Pitta
Publicado no Portal A História de Barreiras

Voltar