MARIA, MÃE DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS DE JESUS CRISTO

CNBB Regional NE 3 realizou encontro entre ecônomos, advogados e administradores ligados às Arqui(dioceses)

Com o objetivo de oferecer reflexões sobre aspectos jurídicos e contábeis da administração das Arquidioceses e Dioceses, o Regional Nordeste 3 organizou um encontro entre ecônomos e pessoas ligadas ao setores jurídico e administrativo. A atividade aconteceu no Centro de Treinamento de Líderes (CTL), em Itapuã, de 8 a 10 de novembro. 42 participantes representaram 18 dioceses do Regional, formada pelos estados da Bahia e de Sergipe.

Além de atualizar os administradores das cúrias acerca da gestão eclesial, o encontro abordou questões trabalhistas e tributárias das organizações religiosas, além de apresentar orientações práticas sobre as obrigações fiscais e tributárias. “Este encontro nos revela que precisamos estar mais atentos às novas orientações cíveis e jurídicas para fazer frente aos desafios que uma diocese enfrenta. Embora seja com representantes das dioceses, esta iniciativa visa atingir a administração das paróquias; queremos levar as informações até as bases para que haja uma administração eficiente e eficaz”, afirmou o bispo auxiliar e ecônomo da Arquidiocese de Salvador, Dom Estevam dos Santos Silva Filho.

Durante o encontro, os participantes contaram com as assessorias do monsenhor Nereudo Freire Henrique, ecônomo da CNBB, e do Dr. Hugo José Sarubbi Cysneiros Oliveira, assessor jurídico-civil da CNBB. “Este é um trabalho que a Igreja tem realizado nos vários regionais. A CNBB é uma instituição filantrópica, certificada, que tem 18 regionais. Então, nós estamos passando em cada regional tentando despertar para a necessidade do maior cuidado nas questões ligadas à gestão e à observância da legislação”, afirmou o monsenhor Nereudo.

“A boa administração auxilia muito na evangelização. Nesse encontro nós tocamos em pontos importantes, como Direito Tributário, direitos Trabalhistas e Contratuais, questões relacionadas à filantropia, que passam por mudanças importantes, também discutimos boas práticas, boas ideias”, disse Dr. Hugo Sarubbi.

Para o assessor jurídico da Diocese de Juazeiro, Sebastião Leite, a troca de experiências foi, sem dúvida, um ponto importante no encontro. “Apesar de serem realidades diferentes, todas as dioceses possuem desafios semelhantes. A minha expectativa era justamente poder trocar experiências e poder levar para a nossa diocese. A discussão com profissionais qualificados foi de extrema importância. Que os conhecimentos possam ser pulverizados, que não fechemos isso em nossas gavetas, em nossas pastas, mas que possamos compartilhar com os párocos e as pastorais”, afirmou.

Partilhar o conhecimento adquirido no encontro é também o desejo da advogada da Diocese de Caetité, Maria Dolores Pereira de Araújo. “Penso que em nossa diocese nós precisamos fazer um encontro com todos os padres para repassar aquilo que foi recebido aqui. Também pretendemos criar um projeto com propostas de aplicação a longo e a curto prazo, para que no ano que vem, neste período, já possamos ter resultados”, disse.

De acordo com monsenhor Nereudo, as questões abordadas durante o encontro sempre foram uma das preocupações da Igreja. “A Igreja sempre primou pela administração, só que no Brasil a legislação tem mudado com frequência, e precisa que a instituição religiosa, Igreja, tenha cuidado em acompanhar e dar um direcionamento nas suas ações, fazendo com que a administração sirva como um meio para a evangelização. Hoje se entende que administrar, gerenciar, executar atividades de gestão, facilita a experiência da evangelização. A transparência na administração faz com que a Igreja seja testemunho, sirva de exemplo”, afirmou monsenhor Nereudo.

 

Fonte: Arquidiocese de São Salvador
Fotos: Sara Gomes
Voltar