MARIA, MÃE DOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS DE JESUS CRISTO

Dia de São Lourenço padroeiro dos Diáconos

“Naqueles dias, aumentando o numero dos discípulos, surgiram murmurações dos helenistas contra os hebreus. Isto porque, diziam aqueles, suas viúvas eram esquecidas na distribuição diária. Os doze convocaram então a multidão dos discípulos e disseram: “Não é conveniente que abandonemos a Palavra de Deus para servir às mesas. Procurai, antes, entre vós, irmãos, sete homens de boa reputação, repletos do Espírito e de sabedoria, e nós os encarregaremos desta tarefa. Quanto a nós, permaneceremos assíduos à oração e ao ministério da Palavra”. (Atos 6, 1-4)

Irmão Diácono da Diocese de Barreiras,

Dirijo-vos neste dia, no qual fazemos memória do vosso patrono, São Lourenço, para manifestar minha gratidão de pastor, em tê-lo como servo de cada fiel nas inúmeras comunidades desta vasta Diocese do extremo Oeste da Bahia.

Olhando a figura de São Lourenço, diácono e mártir, deparo-me nas “atas do seu martírio lê-se que o mártir, antes de ser posto sobre a grelha aquecida por carvões ardentes, quis rezar por Roma. A cidade foi-lhe grata por este ato de amor dedicando-lhe nada menos que trinta e quatro igrejas, a primeira delas segundo o costume, no lugar do martírio.” (SGARBOSSA, Mario. Um santo para cada dia. São Paulo. Ed. Paulinas, 1983. P.252).

Rezo a Deus pelo vosso ministério, que tendo escutado o chamado da Igreja particular da Diocese de Barreiras, na pessoa do meu saudoso antecessor, in memória Josef Weberberger, para ajudar no cuidado dos clamores dos fieis desta extensa Diocese, administrando o sacramento do Batismo, do Matrimônio e partilhando a palavra com os irmãos, alegro-me e exorto-vos, a buscar sempre mais o espírito da sabedoria, que fortifica e fortalece a grandeza deste ministério, que é o serviço.

Percebe-se que São Lucas não dá o nome de diáconos aos sete eleitos, mas é repetida a palavra serviço, diakonia no Grego.  Lourenço exerceu seu ministério tendo em vista o que está na carta de Paulo aos Gálatas 2,20 “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim”. Concede na sua pobreza material, a riqueza espiritual que a muitos faltavam.

Diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida, imagino a cena das redes sendo lançadas pelos três pescadores, e refiro-me a proposta inicial, que era trazer nas redes os peixes. Não tendo sucesso, trás nas redes aquela que é o cenáculo de amor e sacrário vivo do Senhor.

Que você caro irmão, ao jogar as redes por meio do vosso testemunho de esposo, pai, filho, fiel e diácono, traga sempre contigo, o amor maternal e intercessor de Nossa Senhora. Que Maria, mãe dulcíssima e amável, juntamente com São Lourenço, interceda sempre mais pelo serviço que tendes prestado a Diocese de Barreiras.

Parabéns. Deus o Abençoe e lhe conceda a paz.

 

Dom Josafá Menezes da Silva
Bispo Diocesano

 

Voltar