"Sal da Terra e Luz do Mundo”, Mt 5,13-14

Diocese de Barreiras celebrou neste sábado a Ordenação Presbiteral do Pe. Domingos

No último sábado, 07 de abril, na Paróquia Senhora Sant’Ana em Riachão das Neves, foi realizada a Solene Celebração Eucarística, na qual, pela Oração Consagratória e imposição das mãos de Dom Josafá Menezes, Bispo da Diocese de Barreiras, o Diácono Domingos de Souza Rodrigues foi ordenado Presbítero para o serviço da igreja.


O Rito de Ordenação Presbiteral foi realizado logo após a Liturgia da Palavra. O Diácono Domingos colocou-se diante do Bispo para ser interrogado. Dando sequência, o Bispo Dom Josafá prosseguiu com a homilia.


Após a homilia, o Diácono Domingos foi interrogado pelo bispo aceitando publicamente seu propósito prometendo respeito e obediência ao Bispo Diocesano. Em seguida, cantou-se a ladainha de todos os santos e o Bispo e todos os presbíteros presentes fizeram a imposição das mãos sobre o Diácono. Após a oração consagratória, o Padre Domingo foi revestido com a estola sacerdotal e a casula. De joelhos, as palmas de suas mãos foram ungidas pelo Bispo com o Óleo do Santo Crisma e amarradas; logo após sendo desamarradas pela sua mãe. Em seguida, o Bispo entregou ao ordenado a patena com o pão e o cálice dizendo: “Recebe a oferenda do povo para apresentá-la a Deus. Toma consciência do que vais fazer e põe em prática o que vais celebrar, conformando tua vida ao mistério da cruz do Senhor”.


Por fim, o Padre Domingos foi acolhido pelo Bispo e pelos presbíteros com um abraço. Deu-se continuidade a liturgia eucarística.


No final da missa, Pe. Verneson, Chanceler da Cúria Diocesana, leu a ata da cerimonia de ordenação e o Pe. Domingos agradeceu a todos os que colaboraram e acompanharam a sua formação e a todos que estavam ali presentes.


Após a missa teve uma pequena recepção no salão no ginásio da cidade, em comemoração à ordenação e no dia 08 de abril, o Pe. Domingos celebrou sua primeira missa na Igreja Nossa Senhora Aparecida em São Desidério.

“Por causa da tua palavra, lançarei as redes” (Lc 5,5)

Voltar